sábado, 18 de junho de 2011

ANDARILHO DO ALÉM


Andei perdido no mundo
Andando de leu em leu
Busquei abrigo nos bares
Adentrei a muitos lares
Mas não encontrei solução.
Quem era não sei dizer
Se era João ou José
Identidade eu perdi
Não tinha amigos ou parentes
Pois vivia em mundo ausente
Sem saber quem era então.
E foi numa tarde chuvosa
Que neste local adentrei
E ouvi alguém dizer
Que não era desta terra
Que não tinha a minha carne
Fiquei confuso então...
Se não tinha a mais vida
Porque sentia meu corpo?
E as dores no coração?
Depois de algum tempo pensando
Clamei a Deus compreensão.
Foi ai que os meus olhos
Puderam então enxergar
Outro mundo um clarão.
Pude ver flores e crianças.
Pude ver o sol no céu
Pude ver os socorristas
Que vieram me atender.
Hoje aqui eu me encontro
Agora já sei quem sou
Sou eu espírito eterno
Que viveu ai na terra,
Hoje em outra dimensão
Meu nome pouco importa
Mas se alguém quer saber
Na terra em que nasci
Meu Pais me chamavam de João,
Mas aqui neste lugar
Tenho amigo de outras eras
Aqui me chamam de Ceres
Bem diferente de João
O nome pouco importa
O importante é aquilo
que trago no coração

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Não se culpem, muito menos se condenem, a evolução é gradual, foi necessário experimentar viver e agora ter o discernimento de separar o joio do trigo, novos tempos se anunciam

Queridos irmãos, antes de tudo, no começo dos tempos, o Pai pensava o amor, criou o amor e materializou esse sentimento em todas as s...