sábado, 23 de abril de 2016

É chegada a hora das grandes mudanças, tal qual as folhas que caem, despindo os frondosos galhos para que então possam florir e frutificar no eterno ciclo da evolução.


É chegada a hora das grandes mudanças, tal qual as folhas que caem, despindo os frondosos galhos para que então possam florir e frutificar no eterno ciclo da evolução.



Não temam as batalhas terrestres, pois a maior batalha é aquela que travamos dentro de cada um de nós.
As lutas travadas entre o bem são com o bem que adoeceu, pois tudo aquilo que o Criador faz pairar na Sua Infinita Obra da Criação tem na essência unicamente o bem, tal é a lei Universal, o mal não existe, muitas vezes adoece e se transforma no amor não compartilhado, cada ser tocado pelo Infinito Universo não mais retrocederá a forma anterior, a evolução é ordem a se cumprir com determinação e pressa. É chegada a hora das grandes mudanças, tal qual as folhas que caem, despindo os frondosos galhos para que então possam florir e frutificar no eterno ciclo da evolução.
A mesma árvore quando despida das vestes nada teme, nada lamenta, apenas aguarda, pacientemente, o retorno da dádiva da volta de suas vestes.
Assim são também as Leis do Todo Universal, ao sentir-se despido pense na transição da árvore, usada como exemplo, ainda que por algum tempo.
Caminhes sem o manto, suas raízes sustentarão o tempo necessário para a chegada de uma nova etapa.
A Criação é divina, e se somos parte de toda a Criação somos, portanto, divinos.
Nada temam, nada julguem, exerçam a sua divindade doada e partilhada com o Criador.
Fiquem com as luzes que jorram das mãos que vos amam incondicionalmente, protegendo, guiando e guardando por longos tempos.
Abraço fraterno,
Zig.


UNIÃO E. ALLAN KARDEC EM 21-04-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pequenos filhos do nosso coração, cuidamos de vocês com amor, com desprendimento, com carinho. Daqui todos os dias assistimos suas dificuldades, sua busca de algo que nem vocês sabem o que é.

    PEQUENOS DO CORAÇÃO Vocês talvez não compreendam assim mas nós, trabalhadores deste lado, os vemos a todos como filhos - P...