domingo, 10 de julho de 2016

nossa casa é muito mais do que paredes que nos cercam, basta voar e serão livres tal qual foram criados, as paredes foram construções temporárias,

 

Mestre de amor e bondade, derrame Sua misericórdia sobre todos aqueles que esperam pelo socorro. Venho trazer aos queridos trabalhadores, algumas breves palavras, o que espero seja de muita valia. Quando, por motivo diversos, sentirem-se sob frequência vibracional baixa, sem condições físicas ou emocionais para estar presente ao Criador, digo, mentalize uma forte luz, tal qual um sol, sigam em direção a ela, sem temor continuem a voar, ela é capaz de curar todas as mazelas, pois trata-se da essência Divina do Criador. Sentirão penetrando nesse sol e poderão olhar além do plano físico, poderão olhar tão grandioso é o universo, visualizando, à distância nosso lindo planeta azul, contemple todo o Universo, quantas moradas tem a casa do Pai. Diversos planetas, com infinitos sóis, todos repletos de vida e em pleno movimento. Vês quão pequenino tornou-se os problemas, tão insignificantes e passageiros; já não conseguirá visualizar aquilo que falta, mas sim quanto há para viver, evoluir, crescer e vivenciar o tesouro da eternidade. Lembrem-se sempre, o universo é presente do Criador para todos. Nós, nossa casa é muito mais do que paredes que nos cercam, basta voar e serão livres tal qual foram criados, as paredes foram construções temporárias, feitas pelas próprias mãos humanas em algum momento de profundo medo e desalento. A liberdade outorgada pelo Pai aguarda por todos aqueles que crê. Sejam todos libertos dos sentimentos que os aprisionam, sigam em paz, na certeza que tudo podem. Um abraço fraternal.

Cecília

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pequenos filhos do nosso coração, cuidamos de vocês com amor, com desprendimento, com carinho. Daqui todos os dias assistimos suas dificuldades, sua busca de algo que nem vocês sabem o que é.

    PEQUENOS DO CORAÇÃO Vocês talvez não compreendam assim mas nós, trabalhadores deste lado, os vemos a todos como filhos - P...